domingo, 16 de novembro de 2008

MOMENTOS

No final tive medo de perder alguém e acabei perdendo...
Amo a liberdade...Por isso deixo livres pessoas que amo...Se voltarem, foi porque as conquistei. Se não voltarem, foi porque nunca as tive*

Roubei as frases acima de um orkut. Gostei muito e acho uma sucessão de verdades inquestionáveis, isso é, desde que realmente existam verdades inquestionáveis.

No final, além de nossa família, o que resta são os amigos verdadeiros. Estes, próximos como familiares, estarão sempre por perto. Serão deles aquelas ligações que receberemos nos horas difíceis e nas horas de extrema realização. Eles é que sofrerão com nosso mal humor e sequer terão raiva por isso, afinal nos conhecem com a palma da mão. Aturarão os porres, os literais e os porres da alma e mesmo que sintam uma vontade imensa de nos presentear com uma voadora homérica, não o farão. Ou farão, desde que seja extremamente necessário.
Os amigos terão tempestades tropicais e furacões intensos e será a nossa vez de servir como abrigo, o faremos sem questionar. Veremos e seremos vistos fazendo as maiores burradas, mas não questionaremos e sequer seremos questionados.
Amor? Já tenho o de Deus.
Amor? Já tenho o de minha família.
Amor? Já tenho o de meus amigos.
Amor tenho também o de meus cães.

Fora este amor focado acima, o resto é paixão, atração física, possessividade, não é amor. Tendo todo o amor que preciso, do que mais sentirei falta? De sexo? Esse é fácil conseguir... Quero mais que isso, quero muito mais, quero ser feliz e isso implica ser livre, pois os melhores momentos de minha vida passei quando não estava preso a alguém. Tive momentos maravilhosos com pessoas maravilhosas e isso vai ficar em mim, mas foram momentos e não vingaram. Esses momentos sem "prisão" são os que me trazem as mais doces lembranças, como uma inesquecível semana na praia num Reveillón qualquer... Lindos dias e noites, lindo sonho.
Lindos momentos, numa praia paradisíaca, com vista para a cidade imensa e ameaçadora, lindos momentos numa pista de balada, ou num canto de uma balada qualquer. Lindos momentos num quarto luxuoso de motel, ou num quarto estranho de um hotel barato num lugar suspeito. Lindos momentos sentado num beiral, de frente pro prédio onde quero morar um dia ou numa lanchonete sem nome depois de um momento de fome intensa ou sede... Lindos momentos numa casa próxima ou numa casa distante... Lindos momentos numa rua escura, ou num lugar mais apropriado para práticas esportivas. Momentos inesquecíveis. Momentos por vir...
Momentos.

4 comentários:

ventania disse...

Um livro de português do ano passado, se não me engano, tinha essa frase do começo do post.É realmente muito bonita e verdadeira. Mas há algumas pessoas que se prendem à uma 'liberdade'e não se permitem fazer o que querem para manter essa liberdade. Acho que o mais importante de tudo é saber que a verdadeira liberdade é poder fazer tudo que sentir vontade sem se reprimir.

;*

Kléber disse...

Concordo plenamente com você. Não adianta tentar prender e se deixar prender, pois uma hora a situação fica insustentável... A comparação que farei agora parece absurda, mas se analisarmos bem, até que não é. Não adianta termos um passarinho numa gaiola, pois na primeira chance ele voará prá longe. Por outro lado, um cachorrinho sempre estará ao nosso lado, mesmo que o deixemos à vontade prá brincar mais longe, ele voltará prá perto... Assim é com as pessoas, ou conquistamos e mantemos ou aprisionamos para depois espantar.

Fecer disse...

Sabe, este post todo me fez lembrar uma música "A Maçã - Raul Seixas".
Gostei do posto Kléber, apesar de ser um tanto dolorido. Fico com medo de comentar nesses casos!

Gostei da comparação da gaiola e do cão... Nunca tinha pensado por este ângulo!

"Amor só dura em liberdade
O ciúme é só vaidade
Sofro, mas eu vou te libertar
O que é que eu quero
Se eu te privo
Do que eu mais venero
Que é a beleza de deitar..."
(Raul)

Abraço!

Kléber disse...

Fe, os posts do blog estão nele para serem comentados, independendo de serem alegres ou doloridos. Fico feliz sempre que vejo comentários, pode ter certeza. A minha intenção é compartilhar um pouco do que sinto, um pouco do meu humor e muitas vezes com extrema subjetividade expôr algumas angústias. Serve como desabafo, às vezes. Não gosto muito de Raul Seixas, mas dessa música em especial gosto demais. Excelente escolha e grande comparação com o meu texto... Abraço.